segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Na tua ausência

É tarde da noite, meu amor
O silêncio tomou conta da noite,
E a madrugada não tarda.
Não há lua no céu,
mas as estrelas multicores
Ornamentam o firmamento.
A cidade dorme, depois de um dia movimentado.
E eu estou só.
Trago no rosto o cansaço e a insônia
Nos meus olhos há brumas
que se distanciam em um passado ,
Não muito remoto.
Depois de tua partida,
fechou-se no livro da minha existência
Um capítulo que se chamou felicidade.
Hoje vivo só,
Trago estampada em minha face,
A fisionomia de quem perdeu a razão de seu viver...
Sim, você meu amor,
Você que era a razão e vida
Toda a existência estava contida em você...
Partiste. Talvez para nunca mais .
Talvez sejam estes os últimos versos
Que a ti escreverei!

31 comentários:

  1. O Blog "Pieces Of Me'
    chegou aos seus 400 seguidores,
    e tem o prazer de te prestigiar com
    um selinho lindo!!

    Beijos,
    e obrigada pela presença no meu cantinho..

    o selinho esta no link :http://momentosdapathy.blogspot.com/2011/11/400-seguidores.html

    ResponderExcluir
  2. Como o vazio ocupa espaço, não, Zélia?

    =\

    Lindo post.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Essa vazio dá um aperto no coração.
    Beijo
    Nai Melo

    ResponderExcluir
  4. Oi, Patricia
    Obrigada, amada, você merece. Vou já buscá-lo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Luna,
    Verdade e isso dói...
    :(
    Beijos, querida

    ResponderExcluir
  6. Olá, Nai
    Muito, mas tudo bem, às vezes faz parte da vida.
    E vamos em frente!
    \o/
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Querida amiga

    Quem sabe...

    As saudades
    tem vida própria
    em nossa vida...


    Que a alegria
    faça folia
    em teu coração.

    ResponderExcluir
  8. Aluisio,
    belas palavras!
    Mensageiras de alegria
    que inundam meu coração
    dissipando as brumas de saudades...
    Beijos, amigo

    ResponderExcluir
  9. Saudades doem

    Beijos Zélia!

    ResponderExcluir
  10. Verdade, Van
    Ah! Se essa dor doída não doesse assim...
    Beijos, amiga

    ResponderExcluir
  11. Querida amiga Zélia;
    Agradeço, emocionada, por seu comentário em meu blog.
    A saudade é uma dor muito doída. Mistura-se com ansiedade e uma vontade louca de sair sem rumo, a buscar sempre o inatingível, ou seja, aquilo ou aquele que já se foi.
    Mas a vida passa e o tempo voa. E ele se encarrega de fazer-nos, aos poucos, esquecer dos padecimentos do sofrer.
    Deixo-te um grande e afetuoso beijo, amiga.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  12. Querida Zélia...

    Eis a vida num Poema... Tristes mas ainda assim Poema! Versos escritos pela Alma que nos assiste... E nos assiste em todos os âmbitos, nos alegres e nos doídos, mas também nos assiste no perfazer a esperança que nos indica outras Felicidades...
    Um Beijo grande!

    ResponderExcluir
  13. Querida a partida por mais dorida que seja não é um fim.A vida há de florir outra vez.
    Falar de amor, em qualquer circunstância, tem sabor de poesia.Tenha dias felizes.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  14. Olá Zélia,
    Tudo bem?
    A partida do ser amado deixa marcas profundas, mas não pode deixar morrer nossa vontade de viver, pois outros dias virão, trazendo novos amores e novas alegrias.
    Poema triste e belo.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Paraguaçu querida,
    O tempo... senhor das horas... Ele se encarrega de afogar toda mágoa e anestesiar as dores de saudades e solidão.
    Obrigada, amiga por todo essa amizade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Gaivota
    A vida é o mais belo poema, às vezes doídos outras outros sofridos, mas a esperança sempre persiste...benfazeja de felicidade, eis o mistério.
    Beijos, amiga.

    ResponderExcluir
  17. Eloh,

    A partida por mais doída sempre dá lugar à esperança de renovação, novas alegria e um novo a,amor.
    Beijos, querida

    ResponderExcluir
  18. Vera Lúcia,

    Sim, bem como as tardes cinzas outonais que são substituídas pelo florescer das flores na primavera, assim é nossa vida: outros dias, novos amores, alegria...
    Grande beijo, amiga.

    ResponderExcluir
  19. A ausência do ser amado é muito dolorosa...
    Só a poesia pode amenizar um pouco essa dor.
    Um linda noite pra ti!

    Bjussss

    ResponderExcluir
  20. Lindo e nostálgico! A ausência deixa vazios difíceis de serem preenchidos. Por mais que sejamos capazes de nos renovarmos, o processo é lento. A dor também tem tempo de duração e precisa ser esgotada, antes do novo.

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  21. Nostalgico e lindo...

    ___________________
    Peço desculpas pelo sumiço, era por conta de fim de semestre na faculdade, enfim, chegaram as férias e tudo voltando ao normal.

    ResponderExcluir
  22. Olá Zélia!
    Que linda poesia com a ternura da saudade!
    Partidas deixam o sabor da solidão.
    Mas...pensemos que aqui estamos, e a vida encarregar-se-á de colmatar vazios.
    Abraço Zelia.

    ResponderExcluir
  23. Oi, Mácia
    Obrigada, querida! Seja bem-vinda a este espaço.
    :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Mailson,

    Entendo, amigo. Em fim de ano e semestre sempre dá correria. Eu também ando um tanto atarefada lá na escola.
    Um grande abraço, querido.

    ResponderExcluir
  25. Manuela,
    Como é bom ter você por aqui. Tuas palavras me encantam, amiga.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  26. Eu também me sinto assim
    só que o meu nunca trouxe essa ternura.
    Então a saudade é do que não aparece, do que um dia com certeza, virá!
    Beijos

    Ju

    ResponderExcluir
  27. Voltei e li, atentamente, seus versos sobre VELHO RIO. Ele nada diz, mas nós sabemos quantos sonhos já afogamos, em prol da harmonia. Mesmo para falar de vazio e de saudade, você coloca ternura em suas palavras.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  28. Marilene,
    Este rio é muito importante para mim. Rio da minha infância, dos sonhos de criança, fantasias mil, ali fui feliz.
    Que bom que você gostou!
    Beijos

    ResponderExcluir
  29. Oi Ju,
    Sentir saudades até que é bom, valeu a pena ter acontecido...
    *-*
    Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  30. Olá, Zélia, tudo bem?
    Faz um tempo bem extenso que não passo por aqui... Na verdade, o fato de eu ainda não estar seguindo teu blog fez eu perder o teu endereço. Estava revendo algumas postagens de meu blog e me deparei com um comentário seu, e novamente venho aqui agradecer e fixar nosso contato. Seu poema é lindo, é inspirador. A coerência sintática e morfológica é penetrante e dão um toque especial a estas palavras ricas de sentimentos, dos seus sentimentos, dos nossos sentimentos... Enfim, desta integração árdua entre escritor (você) e leitor (eu) onde o benévolo recai sobre mim com esta encantadora magnificência de suas palavras. Parabéns! Seu espaço é fascinante e vou aproveitar para ler os post que ao qual eu perdi pelo caminho...

    Um forte abraço, Wesley Carlos.
    * http://wscarlos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  31. Wesley,

    Obrigada pelo teu carinho, por tuas palavras. Que bom que você gostou deste espaço, pois ele foi feito para partilhar com os amigos, como você. Ficarei feliz com tuas visitas.
    Um carinhoso abraço, amigo.

    ResponderExcluir

Assim nasceu 2010!

Assim nasceu 2010!
A exuberancia da natureza se manifesta em toda a sua plenitude. Feliz 2010

A metamorfose

A metamorfose
Flagrante da vida que surgirá em 2010. Que cor terá? Só sei que virá para tornar minha vida mais feliz quando pousar em meu jardim. Embora sua passagem seja breve valeu a pena esperar por esse momento. Cada ser tem sua missão aqui neste planeta e a dela é de embelezar e alegrar nossas vidas.

Nós, minha filha e eu

Nós, minha filha e eu
É maravilhoso estar perto de quem se ama!

Os mais belos versos de amor que nenhum homem escreveu. Somente feitos por Deus.

Os mais belos versos de amor que nenhum homem escreveu. Somente feitos por Deus.
Está na beleza da flor a essência do que não se vê, mas apenas se sabe que existe, o inegável , o verdadeiro mistério da criaçãol.

Pra não dizer que não falei de pássaros...

Pra não dizer que não falei de pássaros...
No beiral de minha sacada um estranho fez seu ninho. Nos dias de frio ficamos nos observando: cada um na sua. Há espaço para todos, sempre cabe mais um. E ali ficamos respeitando nossos limites a nos observar mutuamente. Já me acostumei com sua presença. Seja bem-vindo, a casa é sua...

Último luar de 2009

Último luar de 2009
A natureza é sabia!